sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Fehu - A runa da prosperidade


Muitas pessoas vêem Fehu como a runa das riquezas ou a runa do dinheiro. Um fato que precisamos entender antes de ler essa runa é que, quando elas foram passadas para o ser humano, não existia dinheiro.

Precisamos entender Fehu como uma runa que carrega um certo tipo de ancestralidade na questão da prosperidade. Como assim?

Se formos contextualizar os nórdicos antigos, entenderemos que posses de terra eram muito valorizados pois a sociedade nórdica era (pasmem) basicamente agrícola, logo, quem possuía terras tinha abundância em alimentos e espaço para a criação de animais. E essas terras eram passadas de geração em geração, ou seja, essa prosperidade não vinha do nada, mas de um legado que era dado de alguém para alguém.




Fehu é a runa da prosperidade e lá naquela época se prosperava quem tinha terras. Hoje não vivemos mais assim, pelo menos a maioria de nós. Portanto uma interpretação literal, nos dias de hoje, seria a que de Fehu significa o que precisamos para sobreviver, seja dinheiro, um emprego novo, uma mudança de cidade, mudar de casa, mudar de emprego. Desde que essas mudanças ou situações novas tragam o suficiente para vivermos confortáveis, com comida na mesa etc.

Significados principais: Prosperidade, futuro imediato favorável, prosperidade vinda da ancestralidade, bons caminhos para alcançar o que deseja (se sua vontade envolver coisas relacionadas a propriedades materiais).

Conselho: Bens materiais são importantes pra nossa sobrevivência mas não deve ser nosso único bem.

Fehu invertida: Fehu invertida não é a ausência de prosperidade nem nada do tipo. Antes, ela representa as dificuldades em se conseguir o que deseja.

As vezes não conseguimos enxergar todos os lados de uma questão e Fehu vem nos tirar essas dúvidas em relação a planos de futuro imediato principalmente se esse futuro é dependente de bens materiais.

Fehu invertida nos alerta sobre dificuldades no caminho, cuidado com nossas posses, pensar bem antes de dispensar algo que nos é valioso (financeiramente falando), ou seja, voltar nossas atenções para o que possuímos de valioso materialmente porque disso depende nossos planos futuros.

Conteúdo Correspondente